Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Foco na Techla

Blog Foco na Techla - Tecnologias de Fotografia, Vídeo e Web Design

Foco na Techla

Blog Foco na Techla - Tecnologias de Fotografia, Vídeo e Web Design

5 conclusões a que tenho chegado nos últimos meses sobre a criação de conteúdos

Joana Antunes, 14.08.20

 

Eu no Estúdio da ESEC TV, em aula (Realização Televisiva Multicâmara)

 

 

Chegaste a Agosto e vês nas notícias que o Covid-19 continua a ter consequências nas nossas vidas enquanto pessoas, profissionais e nas várias sociedades a nível mundial. 🌍

 

Continuas a tomar as medidas de segurança para te protegeres a ti e às outras pessoas (distanciamento social - fisicamente, usar máscara e lavar as mãos, por exemplo). Continuas a viver a tua vida junto de quem te é mais próximo tendo estes cuidados em atenção.

 

Mas preocupas-te com a incerteza do que vai acontecer na recuperação das pessoas no que toca ao impacto destas circunstâncias na sua saúde e nos seus negócios, dando-te dois exemplos.

 

E se sabemos que não prevemos o futuro, podemos preparar-nos para ele no presente! Sendo otimistas de uma forma realista, ou seja, estando atentos aos aspetos positivos e aos não tão bons do que está a acontecer à nossa volta e aproveitando os pequenos momentos para nos desenvolvermos cada vez mais e melhor enquanto pessoas e enquanto profissionais.

 

Se já és ou queres vir a ser profissional de audiovisual 🎥 ou web designer 👩‍💻, ou se tens curiosidade de saber mais sobre como é o mundo do trabalho em vídeo e web design para tecnologias da informação, continua a ler esta legenda.

 

No post de hoje trago-te 5 conclusões 🧩 a que tenho chegado nos últimos meses sobre a criação de conteúdos e a forma como as pessoas se relacionam com esses conteúdos:

• Criares e publicares online conteúdos, sejam eles vídeos, fotografias, designs, posts, podcasts, webinars, lives, ebooks ou outros tipos de conteúdos, e seres verdadeira(o) naquilo que transmites a com quem acompanha o teu trabalho vai propiciar que essas pessoas confiem mais em ti e no teu trabalho, ao interagirem com as mensagens que lhes passas. 🎤

• O teu foco principal deve estar em escolheres quem são as pessoas 👨‍👩‍👧‍👦 que queres a teu lado para te ajudarem a crescer e a melhorar enquanto pessoa e enquanto profissional, e para formares a tua equipa de criação de conteúdos. E em colaborares 🤝 com essas pessoas e com o teu público-alvo/clientes, ajudando esses teus clientes e acrescentando-lhes valor através do teu trabalho. Teres o foco mais nisto do que em competir com outros profissionais da tua área vai-te ajudar tanto a ti como aos restantes profissionais a focarem-se nos respetivos propósitos de comunicação.

• Estares atenta(o) e focada(o) no teu propósito, no porquê de comunicares como o fazes através dos teus conteúdos 🎬 💻 e da imagem que passas através das histórias que contas, vai-te motivar muito mais tanto tu própria(o) como os teus possíveis clientes (leads) ou os teus clientes! Afinal, criar conteúdos é uma forma de ajudares outras pessoas através do teu trabalho!

• Porque deves contar melhores histórias? Porque ao fazê-lo estarás a envolver e a ensinar muito mais e melhor a tua comunidade (seja digital ou presencialmente) e ambas as partes chegarão muito mais longe no que de melhor conseguem imaginar, conceber e executar! 🎯

• Usufrui do processo de evoluíres enquanto aprendes e praticas conhecimentos! Tão importante como teres objetivos que queres atingir e fazeres por isso é divertires-te ao aprenderes e treinares sobre o que estudas!

 

 

O que achaste do post de hoje? 💥

 

Comenta aqui abaixo também o que mais te apaixona no teu trabalho ou na forma como queres que seja a tua carreira! 👇

"Desidentidade" e "Isistência"

Joana Antunes, 19.02.16

"Desidentidade" e "Isistência". Sim. Leram bem. Podem pensar que estou a delirar, mas refiro-me à nossa falta de autoconhecimento, a vários níveis. "Desidentidade" é o acumular de sensações, pensamentos e ações pelos quais nos apercebemos que nem sempre sabemos o nosso valor enquanto pessoas, a nossa verdadeira identidade humana.
            Através desta "desidentidade", descobrimos muito mais do que a nós próprios. Descobrimos que para viver e ter a completa noção do "Quem és tu?" escondido no âmago da nossa essência, precisamos primeiro de "isistir". Porque motivo digo "isistir" e não existir? Pelo facto de a nossa vida e a nossa existência estarem mal escritas. Como assim mal escritas?
          Porque às vezes sofremos mais do que seria necessário.  Todos nos levantamos de manhã com a esperança de algo mais do que estarmos e sermos, mesmo quando dizemos que está tudo bem. Objetivos pessoais e profissionais, causas nas quais acreditamos e pelas quais lutamos. É por aquilo em que acreditamos que exploramos aquilo a que o mundo pode aspirar. Mas temos de ser nós a descodificar o sentido da vida! A encontrar um caminho que mostre quem somos, o que pretendemos a longo prazo e que nos auxilie a embater contra a cascata do desconhecido e a cortar as silvas e os espinhos das rosas que tentem voltar-se contra nós!
            Sejamos mais fortes do que elas e libertemo-nos das dificuldades que se intrometam no nosso percurso! Reguemos as frondosas árvores que nos permitem identificá-lo e apreciemos a paisagem antes de perderem as folhas e se unirem à térrea e éterea luz do Universo!